Mais de um milhão portugueses está deprimido ou ansioso

Silenciosas, mórbidas, às vezes letais. Estas são algumas das características da depressão, uma doença mental que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), diz estar a aumentar em todo o mundo.

Em Portugal, em 2015, e no relatório divulgado recentemente por aquela entidade, mais de meio milhão – mais concretamente 578 mil pessoas – padecem de depressão, o que corresponde a 5,7% da população.

A ansiedade também regista valores relevantes a superar as 502 mil pessoas, correspondendo a 4,9% da população nacional.


E se a depressão for genética?


Os números a nível global são, como seria de esperar, ainda mais impressionantes. Em 2015, 322 milhões de pessoas no mundo em 2015 estava deprimida, representado um crescimento de 18,4% desde 2005.

A OMS lembra que este distúrbio é uma das principais causas para o suicídio e refere que, em 2015, 788 mil pessoas em todo o mundo tinham posto termo à vida. O suicídio foi, em 2015, a segunda principal causa de morte na faixa etária entre os 15 e os 29 anos.


A doença também atinge as celebridades


As mulheres estão entre as principais vítimas desta doença considerada como a maior responsável deterioração do estado de saúde para condições não letais, com um peso de 7,5%, refere o documento da OMS. A ansiedade posiciona-se em 6.º lugar nesta lista.

Assim, o sexo feminino regista maior prevalência entre as mulheres, com 4,4% (ou seja, mais de 11 milhões), do que entre os homens (3,6% equivale a 11 milhões e meio de pessoas), e é mais comum entre as mulheres mais velhas, afetando 7,5% das mulheres entre os 55 e os 74 anos.

O mesmo relatório vinca que o aumento reflete o crescimento da população e também o seu envelhecimento, uma vez que a depressão é mais comum entre as pessoas mais velhas. No que diz respeito à ansiedade a prevalência a nível mundial é de 4,6% entre as mulheres e 2,6% entre os homens.


Leia mais sobre a pílula e depressão


De acordo com o estudo da OMS (e que pode ser consultado no original aqui), a depressão é o fator que mais contribui para o suicídio, que em 2015 foi a causa de morte de 788 mil pessoas em todo o mundo, representando 1,5% das mortes nesse ano a nível global, e colocando o suicídio entre as 20 principais causas de morte.

Em termos geográficos, metade dos casos de depressão registam-se nas regiões do sudeste asiático e oeste do Pacífico, refletindo a grande densidade populacional concentrada nessa região do globo, que inclui países como a China e a Índia. A maior taxa de incidência é entre as mulheres do continente americano, com um registo de 7,7%.

Segundo a OMS muitas pessoas sofrem de quadros de depressão e ansiedade em simultâneo, não sendo, por isso, possível chegar a um total de doentes apenas pelo somatório de ambos os casos.

A 14 de fevereiro, a OMS lançou uma nova imagem no âmbito da campanha “Depressão: Vamos falar” (Depression: let’s talk, no original), composta por posters pensados para zonas do globo específicas.

Percorra a galeria de imagens acima para ver os cartazes ilustrados

Há um poster especialmente pensado para os países europeus do Mediterrâneo que têm acolhido refugiados e migrantes. A organização estima que um em cada cinco pessoas que vivem em emergências. humanitárias e em conflitos sofram de depressão e ansiedade.

Imagem de destaque: Shutterstock

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Aprenda a prevenir o cancro na cozinha