Ator de Gossip Girl acusado de violação pela segunda vez

Cast member Ed Westwick poses at the premiere of "Romeo and Juliet" in Los Angeles, California September 24, 2013. The movie opens limitedly in the U.S. on October 11. REUTERS/Mario Anzuoni (UNITED STATES - Tags: ENTERTAINMENT) - GM1E99P11IP01

A atriz Kristina Cohen foi a primeira a acusar Ed Westwick de violação, tendo afirmado, no início desde mês, que o ator terá abusado sexualmente dela em 2014. Dois dias depois o galã de Gossip Girl volta a ser acusado do mesmo crime, agora por Aurélie Wynn que garante também ter sido violada no mesmo ano.

As duas mulheres recorreram à rede social Facebook para darem a conhecer as suas histórias.

“Não conseguia falar, não conseguia mais mexer-me. Ele segurou-me e violou-me”, conta Kristina Cohen no post que publicou no dia seis de novembro. A atriz refere que após a violação um produtor amigo de Ed Westwick culpou-a pelo sucedido e disse-lhe para não contar nada.

“Foi um pesadelo e os dias seguintes não foram melhores. O produtor pôs a culpa em mim, dizendo que eu fui uma participante ativa. Que não podia dizer nada, porque o Ed iria arranjar pessoas para virem atrás de mim, para me destruírem e me fazerem esquecer a carreira de atriz”, pode ler-se no texto abaixo.

A coragem de Kristina Cohen fez com que Aurélie Wynn viesse a público afirmar que também tinha sido abusada sexualmente por Ed Westwick, em 2014. Utilizando o Facebook, Aurélie publicou um texto onde conta o sucedido: “Tal como a Kristina eu disse que não e ele empurrou-me contra o chão, fiquei impotente sob o peso dele. Eu tinha um fato de banho vestido, ele rasgou-o e eu fiquei em choque”, conta.

Dia 8 de novembro, Ed Westwick publicou na sua conta oficial de Instagram a seguinte mensagem: “Eu não conheço essa mulher. Nunca a forcei de nenhuma maneira, nem nenhuma mulher. Definitivamente nunca cometi uma violação”, tal como se pode ler no post abaixo.

O ator estar atualmente a ser investigado pela polícia de Los Angeles.

[Imagem de destaque: Reuters]

Cindy Crawford alerta filha sobre assédio sexual na indústria da moda

Assédio: chega de culparmos as vítimas